Sem corantes, aditivos ... apenas conservando.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

VENEZIANAS (5.1) - INTRODUÇÃO

Veneza, construída à beira do mar Adriático sobre pequenas ilhas e sobre estacas, era nesse tempo uma das cidades mais poderosas do mundo. Ali tudo foi espanto para o dinamarquês. As ruas eram canais onde deslizavam estreitos barcos finos e escuros. Os palácios cresciam das águas que reflectiam os mármores, as pinturas, as colunas.

Na vasta Praça de São Marcos, em frente da enorme catedral e do alto campanário, o Cavaleiro mal podia acreditar naquilo que os seus olhos viam.
In "O cavaleiro da dinamarca", de Sophia de Mello Breyner Andresen
Nós também quisemos ver.
O Hotel tinha um táxi privado e gratuito que partia todas as manhãs para Veneza.
E começámos logo por não acreditar no que os nossos olhos viam quando o taxista era este belo armário veneziano.


Veneza à vista.



4 comentários:

Antonio saramago disse...

Conheço um pouquito de Itália, mas já não vou a tempo de conhecer Veneza...

Precious disse...

Aprovo o taxista, e Veneza também, já agora ;)

LILI disse...

Taxi e privado...claro que não é para todos !!!!!

José disse...

Olá Gi,

Ainda não fui a Itália, mas tenho esperança que não demore muito.
Para mim é Toscania :-)

Cumprimentos,

José

Os que me fotografam

Medidor de fotoginia